LIXO HOSPITALAR: EVITE AS CONTAMINAÇÕES POR MEIO DO DESCARTE IDEAL

Descarte do lixo hospitalar
Imagem ilustrativa.

Por ano, cada brasileiro produz em média 383 kg de lixo. Esses materiais são classificados em diversas categorias, como o lixo orgânico, reciclável, resíduos de higiene, entre muitos outros que não vemos diretamente. Indústrias, hospitais e estabelecimentos comerciais produzem resíduos e lixo eletrônico que devem ser tratados cada um de sua forma. É necessário que haja uma consciência coletiva de tudo que é descartado e como é realizado esse manejo, porque, afinal de contas, esse mesmo lixo continuará no planeta.

coleta 

Há um descarte específico para cada objeto, para que não se proliferem doenças e parasitas e ainda ajude com a preservação ambiental. Dentre os resíduos mais perigosos está o lixo hospitalar. Este, quando não jogado fora ou tratado de forma correta, pode acabar se misturando com o lixo comum e indo parar em aterros sanitários, ou até mesmo em usinas de reciclagem, onde provoca acidentes e contaminações. O lixo hospitalar é produzido em hospitais, clínicas médicas, estúdios de tatuagens e piercings, farmácias e até mesmo em casa com curativos, seringas e outros dejetos que são os principais responsáveis por infecções.

transporte

Antes da coleta desses materiais, deve-se entender que existe uma segmentação para cada tipo. O grupo A é formado por resíduos biológicos, o B por resíduos químicos, o C por rejeitos radioativos, o D por resíduos comuns e o grupo E, por materiais perfurocortantes.  O armazenamento temporário é realizado até que a coleta hospitalar seja feita para os devidos fins. Nesse processo os materiais são recolhidos e isolados até que sejam transportados para as unidades de tratamento. Quando chegam nessas unidades, são descontaminados e destruídos, geralmente por meio de incineração. Algumas clínicas e hospitais já possuem seus próprios fornos, mas há hospitais que contam com empresas especializadas para prestar esses tipos de serviços.

tratamento

Essas empresas devem seguir as normas estabelecidas pela CONAMA e pela ANVISA para fazer a manutenção. Isso evita que os materiais contaminem o solo, as nascentes e que provoquem acidentes. A Mejan Ambiental é licenciada pelos devidos órgãos, possuí autoclaves próprios e oferece o serviço de descarte ideal para todos os tipos de materiais. Para os lixos hospitalares funciona da seguinte forma:

fluxograma-servicos-saude

Informe-se, reduza, recicle e repense. Conte sempre com a Mejan.

Mais informações: http://www.mejan.com.br/residuos-servicos-de-saude.html

Biomassa: Produção de energia sustentável e eficiente

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

Sustentabilidade, reciclagem e preservação são temas atuais e relevantes que se tornaram pautas obrigatórias a serem discutidas em ambientes corporativos. Inovar é preciso. Inovar com atenção e cuidado ao meio ambiente é uma necessidade.

As fontes de energia renováveis são um assunto em expansão no mundo todo, grandes indústrias e empresas se voltam em busca de conhecimento e opções sustentáveis para diminuir a emissão de gazes poluentes. Uma alternativa eficaz e de baixo custo é a biomassa.

A biomassa se dá por meio de resíduos de madeira, bagaço de cana, lenha, carvão vegetal, dejetos de animais e diversas outras fontes primárias de energia. Estes materiais, quando comparados aos combustíveis fósseis (petróleo, carvão), apresentam um novo meio de gerar energia, poluir menos e reaproveitar o que poderia ser descartado na natureza.

Quando produzida de maneira consciente, gera inúmeros benefícios econômicos, sociais e ambientais por ser uma fonte que se destaca por sua alta densidade energética e sua facilidade de armazenamento, conversão e transporte. Além de todas essas vantagens, a biomassa é produzida regionalmente, gerando empregos diretos e indiretos, o que contribui com a escassez da pobreza e, assim, movimenta um novo giro econômico, cria independência energética e gera receitas regionais.

A busca por meios renováveis tem sido incessável para aqueles que se preocupam com o futuro do planeta. Lavoisier disse: “Na natureza nada se cria, tudo se transforma”, uma frase que pode definir bem o significado da biomassa quando usada de forma inteligente.

Pensando nisso, a Mejan desenvolve um trabalho destinado à biomassa com os resíduos de madeira da construção civil. Confira no infográfico abaixo:

BIOMASSAPara mais informações entre no site: http://www.mejan.com.br/residuos-biomassa.html

Fonte: http://www.lippel.com.br/br/o-que-e-biomassa.html

O planeta está mais verde do que há 20 anos, mas muita calma nessa hora

_105757978_nasa7_full
Foto: NASA

A NASA divulgou recentemente o estudo que analisou dados e imagens da Terra coletadas durante duas décadas por dois satélites. O objetivo da pesquisa era observar o comportamento das áreas verdes pelo mundo. E a boa notícia veio.

A conclusão surpreendente é de que a planeta se tornou mais verde nos últimos 20 anos. O aumento das áreas foliares globais se deve aos dois países mais populosos do mundo, China e Índia, e a expansão de suas áreas agrícolas. Segundo os dados, esse crescimento foliar é equivalente a toda cobertura da Amazônia.

Há algum tempo, a China implantou programas de conservação e expansão de suas florestas na intenção de reduzir os efeitos da erosão do solo, poluição do ar e as mudanças climáticas. Já o “novo verde” da Índia se deve ao aumento do setor agrícola do país. Ambas ações já deram bons resultados.

Mas nem tudo são mares de rosas. Segundo o comunicado dos cientistas que realizaram o estudo, o aumento da vegetação não compensa os danos causados pela perda da cobertura natural em regiões tropicais, como Brasil e Indonésia. A preservação deve continuar.

Lembrando que a terra destinada para agricultura não ajuda a armazenar o carbono, como fazem as florestas.

Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/geral-47366528

Sacola biodegradável feita de mandioca chama atenção na internet

sacola biodegradavelSites e portais de criatividade, tecnologia e inovações promoveram neste mês de janeiro uma matéria que viralizou nas redes sociais: a sacola de mandioca biodegradável.

Criada pelo biólogo Kevin Kumala em Bali, na Indonésia, a inovação é a cara da tradicional sacolinha plástica de supermercado. Entretanto, a embalagem é feita de amido de mandioca solúvel em água quente.

A empresa na qual Kevin atua, a Avani Eco, tem como principal objetivo a criação de soluções biodegradáveis de produtos que seriam produzidos de plástico, um dos maiores vilões ao meio ambiente devido a seu longo período de biodegradação na natureza. Por isso, a ideia é muito interessante do ponto de vista sustentável.

Por ser produzida com amido de mandioca, a sacola de bioplástico não é tóxica, pode ser reciclada com papel, derrete em água morna e na natureza desaparece em questão de meses. Mesmo assim, o material consegue ser resistente ao peso de até três quilos, à chuva e a outros imprevistos.

No vídeo abaixo é possível observar a sacola sendo dissolvida. Assista:

5 alertas sobre a produção de plástico no mundo 

1 – Cerca de 8% de todo o petróleo do mundo é usado na produção de plástico — e as estimativas apontam que até 2050, esse número deve subir para 20%.

2 – Quase metade de todo o plástico produzido até hoje no mundo foi fabricado a partir do ano 2000.

3 – Mais de 18 bilhões de quilos de plástico descartado em regiões costeiras vai parar nos oceanos todos os anos.

4 – Menos de um quinto de todo o plástico fabricado no mundo é reciclado.

5 – Milhares de animais marinhos morrem todos os anos por engolir sacolas plásticas que são confundidas com águas-vivas.

6 aplicativos para tornar a sua vida mais sustentável

Como seria juntar tecnologia, sustentabilidade e praticidade? Parece impossível, mas alguns aplicativos estão prontos para ajudar. A Mejan Ambiental selecionou 6 plataformas que podem transformar a sua vida e ainda otimizar o seu tempo.

Desde diminuir o tempo no banho, economizar combustível, encontrar pontos de coleta reciclável e até saber quanto CO2 você emite no planeta através de seu carro. É só escolher o melhor pra você!

Mejan

Ride Off Carbon

Função: permite saber quanto CO2 você emite rodando de carro e o quanto pode reduzir se optar pelo ônibus ou bicicleta.

Disponível para Android – Grátis

GoodGuide

Função: com o aplicativo, você escaneia o código de barra de diversos produtos e a plataforma informa se este contém substâncias nocivas, se sua produção afeta o meio ambiente ou se há registros de trabalho escravo. Você também pode fazer uma busca pelo nome da marca e encontrar todos seus produtos.

Disponível para iOS e Android – Grátis

Manual de Etiqueta – Planeta Sustentável

Função: oferece diversas dicas sobre energia, cidadania e consumo consciente. O app cria uma árvore virtual que cresce conforme você vai lendo as dicas.

Disponível para iOS – Grátis

Ecopontos

Função: o aplicativo acessa a sua localização e auxilia você a encontrar um ponto de descarte para o óleo de cozinha utilizado em sua casa de acordo com a sua localização, evitando o despejo incorreto na pia.

Disponível para iOS e Android – Grátis

Pegada Hydros

Função: a plataforma calcula a quantidade de água gasta nas suas atividades diárias, como tomar banho, lavar a louça e escovar os dentes, e dá dicas de como você pode economizar este gasto.

Disponível para iOS e Android – Grátis

Carbon Z – Pegada de Carbono

Função: o app realiza o cálculo de quanto CO2 pessoas, empresas, indústrias e eventos emitem no planeta e indica sua neutralização através da plantaçãoo de árvores.

Disponível para Android – Grátis

22 de Março – Dia Mundial da Água. Já economizou hoje?

Água
Imagem ilustrativa

A água pode ser protagonista em nossa vida, mas o diretor somos nós. A preservação do mineral não depende unicamente de projetos governamentais ou sorte em época de chuva, é necessário uma grande conscientização e participação por parte da população em seu cotidiano para o filme rodar.

Há quase 26 anos, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu 22 de março o Dia Mundial da Água, disponibilizando a Declaração Universal dos Direitos da Água, onde apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que instigam a preservação e conscientização ecológica da população e do governo. Apesar de dois terços da Terra serem preenchidos por água, apenas 0,008% é considerado potável para consumo humano e, por isso, a extrema preocupação com a seca e a poluição é real.

A verdade é que todo cidadão tem direito ao consumo de água, mas esse mesmo vem acompanhado de obrigações com a preservação. Explicar para alguém que nunca passou pela falta de água a realidade desse momento é difícil, portanto, mais do que necessário. Pode parecer inútil e pequeno, mas fechar a torneira ao escovar os dentes, diminuir o tempo no banho, lavar a calçada e o carro com balde, entre milhões de outras atividades, causam um impacto positivo de grande expressão.

Aproveite o Dia Mundial da Água para conscientizar, mas use todos os outros dias para economizar!

Dicas para preservar a água:

– Não use a mangueira para limpar o quintal/garagem, troque pelo balde;

– Desligue o chuveiro enquanto estiver ensaboando o corpo e o cabelo;

– Em dias quentes, reduza o consumo de água no banho usando o chuveiro na função verão/desligado;

– Utilize a capacidade máxima da máquina de lavar roupas;

– Feche a torneira ao escovar os dentes;

– Ensaboe toda a louça para depois enxaguar uma única vez;

– Fique atento para vazamentos e torneiras quebradas;

– Não despeje óleo de cozinha na pia, encaminhe para uma empresa especializada em sua reutilização;

– Não despeje lixo em vias, esgotos, rios, córregos, lagos e oceanos;

– Utilize sabão e detergente biodegradáveis.

“Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo”.

Dia do Turismo Ecológico

O ecoturismo ou turismo ecológico

Imagem 1

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, o Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR) e a Sociedade Internacional de Ecoturismo (TIES ou The International Ecotourism Society), o Ecoturismo, ou Turismo Ecológico, é o “segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista por meio da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações”.

Resumidamente, a atividade é um formato de turismo que promove contato com o meio ambiente e é fundamentada em três conceitos principais: educação, conservação e sustentabilidade.

Sendo assim, o ecoturismo torna-se uma alavanca de contribuições positivas que beneficiam o bem-estar ambiental, social, cultural e econômico, inclusive por meio de incentivos financeiros para a conservação de valorização do patrimônio natural.

Consequentemente, os maiores beneficiados com esses aspectos encontram-se nos pequenos municípios interioranos ao redor do mundo. Portanto, esses processos possibilitam que as pequenas comunidades locais desenvolvam-se sustentavelmente. Motivos que fazem dessa data uma comemoração que valoriza a diversidade natural do Brasil e no mundo.

 

Curiosidades

Imagem 2

Na internet, os ecoturistas de carteirinha criaram os 10 mandamentos do ecoturismo:

  1. Amarás a Natureza sobre todas as coisas;
  2. Honrarás e preservarás o bom humor;
  3. Estarás sempre pronto a colaborar;
  4. Serás capaz de te adaptares aos imprevistos;
  5. Utilizarás os serviços dos guias credenciados;
  6. Não reclamarás;
  7. Não invocarás o nome do guia em vão para perguntar se falta muito para chegar;
  8. Não considerarás chuvas, atoleiros ou pontes quebradas como imprevistos;
  9. Não poluirás o meio-ambiente;
  10. 10. Preservarás e respeitás a biodiversidade, não poluirás as nascentes, os leitos e margens, não destruirás as matas ciliares, não degradarás o meio ambiente, e compartilharás a sustentabilidade.

 

Gostou desse conteúdo? Aproveite para marcar e compartilhar com os amigos que gostam de aventuras em meio à natureza.

Coleta Seletiva: qual a importância do sistema de recicláveis previamente separados?

 

imagem

A coleta seletiva é um sistema de recolhimento de resíduos previamente separados de acordo com seu material e composição. Inicialmente, para aderir ao processo, é necessário avaliar o tipo de lixo produzido no local, quantitativamente e qualitativamente, para estruturar a melhor forma de coleta.

Existem diversos tipos de aderentes da coleta seletiva, como veículos que passam nas residências e recolhem separadamente cada material, os postos de entrega voluntária localizados em locais públicos e estratégicos, e também os pontos onde você troca seus materiais por algum outro produto.

Cada tipo de resíduo conta com um processo de reciclagem próprio, se caso misturado com outros tipos, sua reciclagem se torna mais cara ou inviável. Do ponto de vista financeiro, a coleta seletiva colabora na hora de identificar materiais que ainda podem ser reaproveitados e vendidos, diminuindo os custos de reciclagem e trazendo benefícios econômicos e sociais.

Quando a coleta acontece, os resíduos recicláveis secos recolhidos são transportados para centrais ou galpões de triagem, onde são separados de acordo com sua composição e vendidos para a indústria de reciclagem. Já os resíduos orgânicos são tratados para geração de adubo orgânico e os rejeitos são enviados para aterros sanitários.

Além disso, a coleta seletiva ainda ajuda a conscientizar e preservar o meio ambiente, diminuindo a poluição e os danos ambientais ao nosso planeta. Faça sua parte!

Descartados incorretamente, medicamentos são causa de danos à saúde e ao meio ambiente

blog

Segundo a Unidade de Gestão Ambiental (UGA), da Fundação Ezequiel Dias (Funed), quando medicamentos são descartados de forma incorreta e irregular trazem sérias consequências para o meio ambiente e para a saúde.

Em recente entrevista para o jornal Hoje Em Dia, a bióloga responsável pela UGA, Fabiana Cristina Lima Barbosa, explicou que os resíduos químicos dos remédios, ao serem lançados no sistema de esgoto, diluem-se e tornam-se impossíveis de serem eliminados com filtragem.

“Ou seja, a água é contaminada por esses agentes e retorna aos fluxos hídricos concentrada de resíduos aos cidadãos”, esclareceu ela.

Quando descartados misturados ao lixo comum, os resíduos são levados para aterros que, com o passar do tempo e da quantidade acumulada, comprometem o solo e, possivelmente, os lençóis freáticos.

A companhia Brasil Health Service (BHS) constatou, com levantamento de dados realizado em 2010, que um quilo de medicamento irregularmente descartado na rede de esgoto resulta na contaminação de até 450 mil litros de água.

O assunto, apesar de ser pouco discutido, é de máxima importância para evitar impactos prejudiciais à natureza e, consequentemente, ao ser humano. Assim como o descarte de lâmpadas queimadas, que são recolhidas e encaminhadas ao fabricante ou empresa de coleta e descarte, como a Mejan Ambiental, os medicamentos também devem ser administrados por meio da logística reversa, ou seja, devem ser entregues em farmácias, clínicas ou hospitais.

A Mejan, como empresa, presta serviços de coleta desses e outros resíduos que são gerados pela área da saúde e oferecem grande risco de contaminação ao meio ambiente. Por isso exigem tratamento especial no descarte e regulamentação pelos órgãos ambientais e de saúde.

Mas é importante que todos, enquanto cidadãos, exercitem o bom senso e direcionem os medicamentos vencidos ou em desuso para um ponto de coleta e ajude na preservação do meio ambiente e da qualidade de vida.

Conheça mais sobre este serviço e a Mejan Ambiental em: mejan.com.br.

Fonte: Hoje Em Dia