22 de Março – Dia Mundial da Água. Já economizou hoje?

Água
Imagem ilustrativa

A água pode ser protagonista em nossa vida, mas o diretor somos nós. A preservação do mineral não depende unicamente de projetos governamentais ou sorte em época de chuva, é necessário uma grande conscientização e participação por parte da população em seu cotidiano para o filme rodar.

Há quase 26 anos, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu 22 de março o Dia Mundial da Água, disponibilizando a Declaração Universal dos Direitos da Água, onde apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que instigam a preservação e conscientização ecológica da população e do governo. Apesar de dois terços da Terra serem preenchidos por água, apenas 0,008% é considerado potável para consumo humano e, por isso, a extrema preocupação com a seca e a poluição é real.

A verdade é que todo cidadão tem direito ao consumo de água, mas esse mesmo vem acompanhado de obrigações com a preservação. Explicar para alguém que nunca passou pela falta de água a realidade desse momento é difícil, portanto, mais do que necessário. Pode parecer inútil e pequeno, mas fechar a torneira ao escovar os dentes, diminuir o tempo no banho, lavar a calçada e o carro com balde, entre milhões de outras atividades, causam um impacto positivo de grande expressão.

Aproveite o Dia Mundial da Água para conscientizar, mas use todos os outros dias para economizar!

Dicas para preservar a água:

– Não use a mangueira para limpar o quintal/garagem, troque pelo balde;

– Desligue o chuveiro enquanto estiver ensaboando o corpo e o cabelo;

– Em dias quentes, reduza o consumo de água no banho usando o chuveiro na função verão/desligado;

– Utilize a capacidade máxima da máquina de lavar roupas;

– Feche a torneira ao escovar os dentes;

– Ensaboe toda a louça para depois enxaguar uma única vez;

– Fique atento para vazamentos e torneiras quebradas;

– Não despeje óleo de cozinha na pia, encaminhe para uma empresa especializada em sua reutilização;

– Não despeje lixo em vias, esgotos, rios, córregos, lagos e oceanos;

– Utilize sabão e detergente biodegradáveis.

“Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo”.

Dia do Turismo Ecológico

O ecoturismo ou turismo ecológico

Imagem 1

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, o Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR) e a Sociedade Internacional de Ecoturismo (TIES ou The International Ecotourism Society), o Ecoturismo, ou Turismo Ecológico, é o “segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista por meio da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações”.

Resumidamente, a atividade é um formato de turismo que promove contato com o meio ambiente e é fundamentada em três conceitos principais: educação, conservação e sustentabilidade.

Sendo assim, o ecoturismo torna-se uma alavanca de contribuições positivas que beneficiam o bem-estar ambiental, social, cultural e econômico, inclusive por meio de incentivos financeiros para a conservação de valorização do patrimônio natural.

Consequentemente, os maiores beneficiados com esses aspectos encontram-se nos pequenos municípios interioranos ao redor do mundo. Portanto, esses processos possibilitam que as pequenas comunidades locais desenvolvam-se sustentavelmente. Motivos que fazem dessa data uma comemoração que valoriza a diversidade natural do Brasil e no mundo.

 

Curiosidades

Imagem 2

Na internet, os ecoturistas de carteirinha criaram os 10 mandamentos do ecoturismo:

  1. Amarás a Natureza sobre todas as coisas;
  2. Honrarás e preservarás o bom humor;
  3. Estarás sempre pronto a colaborar;
  4. Serás capaz de te adaptares aos imprevistos;
  5. Utilizarás os serviços dos guias credenciados;
  6. Não reclamarás;
  7. Não invocarás o nome do guia em vão para perguntar se falta muito para chegar;
  8. Não considerarás chuvas, atoleiros ou pontes quebradas como imprevistos;
  9. Não poluirás o meio-ambiente;
  10. 10. Preservarás e respeitás a biodiversidade, não poluirás as nascentes, os leitos e margens, não destruirás as matas ciliares, não degradarás o meio ambiente, e compartilharás a sustentabilidade.

 

Gostou desse conteúdo? Aproveite para marcar e compartilhar com os amigos que gostam de aventuras em meio à natureza.

Coleta Seletiva: qual a importância do sistema de recicláveis previamente separados?

 

imagem

A coleta seletiva é um sistema de recolhimento de resíduos previamente separados de acordo com seu material e composição. Inicialmente, para aderir ao processo, é necessário avaliar o tipo de lixo produzido no local, quantitativamente e qualitativamente, para estruturar a melhor forma de coleta.

Existem diversos tipos de aderentes da coleta seletiva, como veículos que passam nas residências e recolhem separadamente cada material, os postos de entrega voluntária localizados em locais públicos e estratégicos, e também os pontos onde você troca seus materiais por algum outro produto.

Cada tipo de resíduo conta com um processo de reciclagem próprio, se caso misturado com outros tipos, sua reciclagem se torna mais cara ou inviável. Do ponto de vista financeiro, a coleta seletiva colabora na hora de identificar materiais que ainda podem ser reaproveitados e vendidos, diminuindo os custos de reciclagem e trazendo benefícios econômicos e sociais.

Quando a coleta acontece, os resíduos recicláveis secos recolhidos são transportados para centrais ou galpões de triagem, onde são separados de acordo com sua composição e vendidos para a indústria de reciclagem. Já os resíduos orgânicos são tratados para geração de adubo orgânico e os rejeitos são enviados para aterros sanitários.

Além disso, a coleta seletiva ainda ajuda a conscientizar e preservar o meio ambiente, diminuindo a poluição e os danos ambientais ao nosso planeta. Faça sua parte!

Descartados incorretamente, medicamentos são causa de danos à saúde e ao meio ambiente

blog

Segundo a Unidade de Gestão Ambiental (UGA), da Fundação Ezequiel Dias (Funed), quando medicamentos são descartados de forma incorreta e irregular trazem sérias consequências para o meio ambiente e para a saúde.

Em recente entrevista para o jornal Hoje Em Dia, a bióloga responsável pela UGA, Fabiana Cristina Lima Barbosa, explicou que os resíduos químicos dos remédios, ao serem lançados no sistema de esgoto, diluem-se e tornam-se impossíveis de serem eliminados com filtragem.

“Ou seja, a água é contaminada por esses agentes e retorna aos fluxos hídricos concentrada de resíduos aos cidadãos”, esclareceu ela.

Quando descartados misturados ao lixo comum, os resíduos são levados para aterros que, com o passar do tempo e da quantidade acumulada, comprometem o solo e, possivelmente, os lençóis freáticos.

A companhia Brasil Health Service (BHS) constatou, com levantamento de dados realizado em 2010, que um quilo de medicamento irregularmente descartado na rede de esgoto resulta na contaminação de até 450 mil litros de água.

O assunto, apesar de ser pouco discutido, é de máxima importância para evitar impactos prejudiciais à natureza e, consequentemente, ao ser humano. Assim como o descarte de lâmpadas queimadas, que são recolhidas e encaminhadas ao fabricante ou empresa de coleta e descarte, como a Mejan Ambiental, os medicamentos também devem ser administrados por meio da logística reversa, ou seja, devem ser entregues em farmácias, clínicas ou hospitais.

A Mejan, como empresa, presta serviços de coleta desses e outros resíduos que são gerados pela área da saúde e oferecem grande risco de contaminação ao meio ambiente. Por isso exigem tratamento especial no descarte e regulamentação pelos órgãos ambientais e de saúde.

Mas é importante que todos, enquanto cidadãos, exercitem o bom senso e direcionem os medicamentos vencidos ou em desuso para um ponto de coleta e ajude na preservação do meio ambiente e da qualidade de vida.

Conheça mais sobre este serviço e a Mejan Ambiental em: mejan.com.br.

Fonte: Hoje Em Dia

O que fazer com seu lixo eletrônico?

blog

O Brasil é o maior produtor de lixo eletrônico da América Latina e o segundo entre os países emergentes, atrás apenas da China. A diferença é que no país asiático a reciclagem desse tipo de resíduo é vista como uma oportunidade de negócio, inclusive importam o material de outros países, enquanto no Brasil ainda estamos engatinhando, reciclamos apenas 2% do que é gerado. A média mundial, segundo a ONU, é estimada em 13%.

Os prejuízos causados pelo descarte irregular de equipamentos eletrônicos são imensos e levam à contaminação do solo, da água e do ar com metais pesados. Cádmio, chumbo e cobre são apenas algumas das substâncias tóxicas que estão presentes nesses equipamentos descartados e que podem causar dano à saúde, como feridas em órgãos internos, câncer e doenças respiratórias em humanos quando encontradas em grande quantidade, além de afetarem também os animais e plantas.

Mas e então, qual é a solução?

Existem um conjunto de princípios para orientar o desenvolvimento de formas para lidar com o lixo eletrônico, entre elas:

  • Campanhas de sensibilização com apoio de fabricantes, prestadores de serviços, varejistas e conselhos locais visando educar os consumidores sobre o seu papel fundamental na cadeia de reciclagem;
  • Organizar a coleta seletiva de telefones celulares como passo fundamental na cadeia de reciclagem. No entanto, os benefícios sociais da reciclagem do lixo eletrônico só podem ser alcançados se o que for coletado possa ser canalizado para as melhores opções de tratamento;
  • Eficiência no processo de recuperação se mostra igualmente importante para o trato de metais, que são amplamente usados em equipamentos eletrônicos modernos.

Essa responsabilidade é de todos. A Mejan Ambiental, como empresa ou enquanto parte de uma sociedade, tem como missão auxiliar outras empresas na destinação correta de equipamentos eletrônicos, garantindo sua sobrevida por meio de reuso ou reinserindo seus componentes como matéria-prima em outros ciclos de produção, reduzindo a destinação para aterros.

Com a Mejan é assim: sua empresa sempre em dia com as responsabilidades ambientais.

Para saber como contratar nossos serviços acesse: http://www.mejan.com.br/contato.html

 

Mejan Ambiental oferece coleta de resíduos para indústria

A empresa também realiza o transporte e destinação correta do material recolhido, de acordo com a sua classificação

green-marketing

Cada vez mais empresas estão engajadas em relacionar suas atividades com projetos ambientais para preservar o meio ambiente e os recursos naturais. Pensando em atender a esses negócios, a Mejan Ambiental realiza a prestação de serviços e gestão de resíduos da construção civil e também de resíduos perigosos, como os industriais e os de saúde, em 5 estados do Brasil (São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraná).

Durante todos os processos, as diversas atividades das organizações geram resíduos sólidos, líquidos e gasosos que, descartados de maneira errada, podem contaminar a água, o solo e causar sérios impactos ambientais.

“A Mejan Ambiental oferece soluções sob medida para tratamento e destinação final desses resíduos, de acordo com a classificação de cada um. Além disso, fornece as orientações e a documentação necessária junto aos órgãos ambientais”, informou o diretor da empresa, Herivelton Mejan.

Ainda de acordo com Herivelton, a Mejan oferece para grandes firmas a locação de Compactainer, equipamentos para acondicionar resíduos orgânicos ou industriais.

“Os resíduos orgânicos produzidos por grandes geradores, como usinas, supermercados, shoppings, empresas e até pela própria natureza, decompõem-se rapidamente e se não forem descartados corretamente podem trazer diversos danos ao meio ambiente e à nossa saúde. O Compactainer, além de facilitar a manutenção, inibe a propagação de pragas e insetos, já que não há contato com o resíduo.”

Segundo o diretor, a Mejan Ambiental utiliza a modernidade a seu favor, trazendo novas tecnologias para seus parceiros. “Outra preocupação da Mejan é oferecer equipamentos seguros e que seguem a NR 12, norma emitida pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), evitando assim danos pessoais ou materiais”, concluiu.

Classificação dos resíduos

A Mejan Ambiental analisa e separa o lixo conforme sua classificação, assim a companhia pode indicar o tratamento adequado. Os detritos são divididos em dois grupos, Perigosos e Não Perigosos.

Os perigosos são aqueles que contem produtos que agridem o meio ambiente de forma agressiva e forte impacto, como borra de tinta, lubrificantes automotivos, resíduos hospitalares e de tratamentos térmicos de metais. Eles também podem causar riscos à saúde pública, como doenças e até a morte.

Já os não perigosos são classificados em dois tipos. Os Não Inerentes, aqueles que com o passar do tempo sofrem algum tipo de mudança ou decomposição, como papéis e materiais orgânicos. E os Inerentes, materiais que ao serem expostos a longos períodos em contato com água destilada ou desionizada, segundo a ABNT NBR 10007, ou à temperatura ambiente, conforme ABNT NBR 10006, dando cor, turbidez, dureza e sabor à água, como fibra de vidro, sucatas de ferro e aço.

Thermas dos Laranjais contrata Mejan para destinação correta de resíduos

thermas-dos-laranjais-panoracc82mica-2-alta1

Neste ano foi realizada uma grande parceria entre o Parque Aquático Thermas dos Laranjais e a Mejan Ambiental, para a destinação correta dos resíduos produzidos na ampliação do mini zoológico interno do parque.

O Zoo, do maior complexo turístico da América Latina, possui cerca de 40 espécies de animais diferentes numa área que está sendo ampliada. Com a nova reforma, uma estrutura está sendo construída para inserção de um serpentário e novos bichos.

Preocupados com destinação e descarte adequado das substâncias produzidas durante a construção, para evitar danos ao meio ambiente, o parque contratou a Mejan Ambiental. Uma atitude que registrou o compromisso com a natureza que a instituição possui, “Não podemos deixar de pensar no descarte correto, afinal, é a natureza que sustenta todo o parque e polui-la não é interessante. Preserva-la é mais do que uma obrigação pra nós, é uma honra” afirmou Vitor Lopes Lousada, veterinário do parque.

A responsabilidade ambiental na hora de destinar os resíduos produzido nas obras é um movimento atual e de grande importância que vem chamando cada vez mais a atenção de empresas que investem em projetos sustentáveis. A Mejan atua a mais de 15 anos nesta área e conhece bem a importância desse trabalho, “ As empresas que se preocupam de verdade sabem que a melhor maneira, na hora de pensar em sustentabilidade, é fazer parcerias com empresas especialistas no assunto”, diz Herivelto Mejan, diretor da empresa.

Para a correta gestão dos resíduos é necessário seguir um rigoroso processo regulamentado pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e pelo CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

O Thermas dos Laranjais

Localizado no município de Olímpia, no interior do estado de São Paulo, o Termas dos Laranjais é considerado um dos principais complexos turísticos da América Latina e o 4 Parque Aquático mais visitado do mundo.

Em uma extensão de mais de 260 mil metros quadrados, o Parque recebe cerca de 2 milhões de pessoas por ano e possui mais de 50 atrações aquáticas, para todas as idades, além de um mini zoológico.

Os investimentos em ampliações são constantes, sempre buscando inovação. Mais informações no site termas.com.br ou pelo telefone (17)3279-3500.

Nestlé utiliza Compactainer em sua unidade de Araçatuba

13707581_529239083935824_272372101680991967_n

A unidade fabril da Nestlé de Araçatuba adquiriu recentemente uma das novidades em serviços da Mejan Ambiental, o Compactainer. O equipamento é um compactador de resíduos, que ficará responsável pelo armazenamento dos resíduos orgânicos industriais produzidos pela empresa.

De acordo com o diretor da Mejan Ambiental, Herivelto Mejan, grandes empresas que são geradoras de resíduos já estão se preocupando em dar a destinação correta. “Aqui na Mejan oferecemos uma gama de serviços que se adaptam ao perfil que cada empresa precisa. Assim, sugerimos as soluções de acordo com o perfil de produção de resíduos”, contou.

Herivelto ainda acrescenta que os resíduos orgânicos produzidos por grandes empresas, como: usinas, supermercados, shoppings e até pela própria natureza decompõem-se rapidamente e se não forem descartados corretamente podem trazer diversos danos ao meio ambiente e à nossa saúde.

“Para evitar possíveis danos ambientais e na saúde é importante que cada vez mais empresas removam e transportem com segurança esses resíduos”, destacou o diretor da Mejan Ambiental.

 

Compactainer

A Mejan Ambiental oferece o serviço de locação de Compactainers, equipamentos para acondicionar resíduos orgânicos industriais. Além da fácil manutenção, inibe a propagação de pragas e insetos, já que não há contato com o resíduo.

Outra preocupação da Mejan é oferecer equipamentos seguros e que seguem a NR 12, norma emitida pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), evitando assim danos pessoais ou materiais.

Viu, só? É a Nestlé Araçatuba se preocupando com o meio ambiente com a ajuda da Mejan Ambiental.

 

 

Leis dos aterros não tem impacto e 41,6 % dos resíduos vão para os lixões

Política Nacional criada em 2010 deveria ter sido implementada até agosto do ano passado, mas pouco foi feito até agora desde então.

SÃO PAULO – A Política Nacional de Resíduos Sólidos, criada em 2010 com prazo de implementação em 2014, praticamente não fez diferença para acabar com os lixões do Brasil. No País de cinco anos atrás, 42,4% dos resíduos coletados iam para lixões ou aterros controlados (que não são sanitários). No ano passado, 41,6% tinham esse fim. Uma melhora de apenas 0,8 ponto porcentual. Pela lei, no entanto, o País não deveria ter mais nenhum lixão desde 2 de agosto de 2014. A destinação incorreta deveria ser zero.

1437737007821

Leia mais em:  http://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,em-4-anos–lei-dos-aterros-tem-impacto-nulo-e-41-6-dos-residuos-vao-para-lixoes,1730939